Mais de 80 mil, na América Latina, computadores pegaram o vírus da mensagem instantânea no Skype. O usuário está conversando normalmente, quando de repente, iniciam uma conversa (semelhante às antigas mensagens com vírus no extinto Windows Messenger). Você recebe a mensagem de uma pessoa conhecida – com texto e link encurtado –, mas a mensagem não foi disparada pelo seu amigo. O alerta é da ESET, companhia de segurança na internet. Trata-se de um vírus que vitimou mais de 300 mil pessoas em todo o mundo. Com informações da IT/Users.

Na reprodução da imagem, é possível entender. Imagine seu amigo (Jose), com quem conversa todos os dias, ou frequentemente na semana via Skype. Ele lhe envia uma mensagem e você, em meio às múltiplas ações na internet, nem se dá ao trabalho de ler e prefere abrir primeiro. Depois você percebe que José escreveu em espanhol e que o link que ele lhe enviou é na verdade um vírus! Bate o desespero, não?

Pois é assim que funciona a mensagem vírus no Skype. A praga se propaga com uma velocidade incomparável. Parece inofensivo. Quem clicaria em uma mensagem estranha acompanhada de um link encurtado (goo.gl) hoje em dia? Aparentemente, mais de 300 mil pessoas. Os endereços falsos levam à instalação de um malware, automaticamente. E a partir daí, você será uma dos usuários que compactuará com a disseminação da praga (sem você saber). Segundo o ESET, o vírus tem comportamento similar ao Worm Win32/Kryptik.BBKB.

Não se sabe ao certo quais são os riscos que a infecção oferece. Mas todo malware é um mal na sua máquina. Sua tecnologia pode ter a velocidade reduzida e, em casos mais extremos, pode até estragar componentes importantes para o funcionamento. O mais recomendado nesses casos é não clicar em links suspeitos e, quando pegar o vírus, realizar a formatação.